Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

 

Pedimos desculpas pelo incoveniente

Postado 2016/11/18

Devido a um ataque em nosso site, tivemos nosso site bloqueado. Aos poucos estaremos incluindo de volta todo o conteúdo do site, agradecemos a preocupação por ter saído do ar e sua compreensão.

A garotinha do parque. 



Descalça e suja, a pequena garota ficava sentada no parque olhando 
as pessoas passar. Ela nunca tentava falar, não dizia uma única palavra. 

Muitas pessoas passavam por ela, mas nenhuma sequer lhe lançava um simplesolhar, ninguém parava, inclusive eu. No outro dia eu decidi voltar aoparque curiosa para ver se a pequena garota ainda estaria lá.

Exatamente no mesmo lugar aonde ela estava sentada no dia anterior,ela estava empoleirada no alto do banco com olhar mais triste do mundo. 


Mas hoje eu não pude simplesmente passar ao largo, preocupada somente commeus afazeres. Ao contrário, eu me vi caminhando ao encontro dela. 


Pelo que todos sabemos, um parque cheio de pessoas estranhas não é um lugaradequado para crianças brincarem sozinhas.Quando eu comecei a me aproximar dela pude ver que as costas do seuvestido indicavam uma deformidade. Eu conclui que era a razão pela qual as 
pessoas simplesmente passavam e não faziam esforço algum em se importar com ela. 


Quando cheguei mais perto a garotinha lentamente baixou os olhos 
para evitar meu intenso olhar. Eu pude ver o contorno de suas costas mais claramente.Para era grotescamente corcunda. Eu sorri para lhe mostrar que euestava bem e que estava lá para ajudar e conversar. Eu me sentei ao lado dela einiciei com um olá. A garota reagiu chocada e balbuciouum "oi" após fixar intensamente meus olhos. Eu sorri e ela timidamente sorriu de volta. 


Conversamos até anoitecer e o parque já estava completamente vazio.Todos tinham ido e estávamos só. Eu perguntei porque a garotinha estava tão triste. 


Ela olhou para mim e me disse: 
"Porque eu sou diferente". Eu imediatamente disse sorrindo: "Sim você é". A garotinha ficou ainda mais triste dizendo: "Eu sei" "Garotinha", eudisse "você me lembra um anjo, doce e inocente". Ela olhoupara mim e sorriu lentamente, levantou-se e disse: "De verdade?". 

"Sim querida, você é um pequeno anjo da guarda mandado para olhartodas estas pessoas que passam por aqui. Ela acenou com a cabeça e dissesorrindo "sim", e com isso abriu suas asas e piscando os olhos falou: "Eu sou seuanjo da guarda". Eu fiquei sem palavras e certa de que estava tendo visões. 

Ela finalizou, "quando você deixou de pensar unicamente em você, meutrabalho aqui foi realizado."Imediatamente eu me levantei e disse: "Espere, porque então ninguémmais parou para ajudar um anjo? Ela olhou para mim e sorriu: "Você foi aúnica capaz de me ver" e desapareceu. Com isso minhavida foi mudada drasticamente. Quando você pensar que está completamente só, lembre- se, seu anjoestá sempre tomando conta de você.

O meu estava!

Compartilhar na mídia social


Conteúdo